- PUBLICIDADE -

SÃO PAULO

Secretaria da Educação e Instituto Ayrton Senna iniciam autoavaliação do 2° bimestre 

Publicados

em





A abordagem está relacionada às características individuais, que se manifestam nas formas de sentir, pensar e agir dos alunos 



Estudantes da rede pública estadual de ensino começam a preencher a autoavaliação socioemocional do 2° bimestre nesta quarta-feira (9). Resultado da parceria entre a Secretaria da Educação do Estado (Seduc-SP) e o Instituto Ayrton Senna, o instrumento baseado em rubricas é voltado para alunos do 6° ao 9° ano do ensino fundamental e do ensino médio. A pesquisa online fica disponível até 30 de junho, na Secretaria Escolar Digital (SED). 

A autoavaliação envolve 17 competências socioemocionais agrupadas em cinco macrocompetências: amabilidade, engajamento com os outros, abertura ao novo, autogestão e resiliência emocional. Dessas, são respondidas apenas os itens priorizados em cada ano e série pela rede, conforme o componente Projeto de Vida, oferecido no âmbito do Inova Educação. Nas respostas, os estudantes se autoavaliam – por meio de escalas (níveis ou “degraus”) e justificativas- como se sentem e percebem em relação a temas variados, que estão relacionados às características individuais e se manifestam nas formas de sentir, pensar e agir, seja consigo, com terceiros e em situações para estabelecer e atingir objetivos.  

Para Rossieli Soares, secretário de Estado da Educação, o instrumento permite reflexões sobre o desenvolvimento do ensino e da aprendizagem. “O estudo acompanha o percurso formativo e fornece subsídios necessários para que a rede possa conhecer e intervir na mediação e no processo escolar como um todo. É importante pontuar que não objetivamos premiar ou atribuir nota, mas, sim, compreender determinados aspectos socioemocionais que possam interferir na aprendizagem para, assim, tomarmos decisões embasadas”, conta.  

O incentivo à compreensão da singularidade de cada estudante é comentado por Natália Storace, gerente de Projetos do Instituto Ayrton Senna. “Os materiais do componente Projeto de Vida propõem atividades voltadas para o desenvolvimento dos estudantes, do protagonismo e das competências socioemocionais, permitindo um trabalho individualizado a partir da reflexão sobre quem são, sobre suas histórias, interesses e sonhos em relação aos estudos, à família, à comunidade e ao trabalho. Dessa maneira, tal autoavaliação é fundamental para que os estudantes possam viver, estudar e conviver em um mundo cada vez mais complexo, incerto e em constantes e rápidas mudanças, que são as marcas mais significativas e desafiadoras do século 21”, comenta.

Desenvolvimento integral dos estudantes 

O Projeto de Vida (PV) é um dos três componentes curriculares do Inova Educação, que ainda conta com Eletivas e Tecnologia e Inovação. Durante as aulas, os estudantes têm contato com abordagens atuais, relacionadas, por exemplo, à gestão de tempo, organização pessoal, compromisso com a comunidade e perspectivas para o futuro. O currículo do estado de São Paulo prevê o desenvolvimento pleno das habilidades cognitivas e socioemocionais dos estudantes, através da promoção de um ambiente inovador de criação, de compartilhamento de ideias e soluções tecnológicas que melhoram a rotina escolar, além de permitir uma maior conexão entre professores, estudantes e outros integrantes da comunidade escolar. 

Saiba mais no site do Inova Educação: https://inova.educacao.sp.gov.br 

Passo a passo para o preenchimento 

Para responder à autoavaliação socioemocional, o estudante deve acessar a Secretaria Escolar Digital: https://sed.educacao.sp.gov.br/ 

No menu inicial, clicar em Aluno / Autoavaliação socioemocionais / Preencher Autoavaliação / Ler as instruções e avançar para iniciar. É possível selecionar a alternativa que o estudante mais se identifica, seguindo as orientações de preenchimento de cada questão. Ao concluir, basta clicar em finalizar. Ao confirmar, o questionário será enviado com sucesso.  

Acessos e resultados 

A partir de 6 de julho, os relatórios referentes às visualizações por estudante e turma serão disponibilizados ao professor. Os dados consolidados por escola poderão ser acessados pelos gestores.  

A autoavaliação socioemocional complementa a avaliação diagnóstica apresentada recentemente pela Seduc-SP e o Instituto Ayrton, que envolveu 110 mil estudantes e apresentou uma análise ampla para a tomada de decisões baseadas em evidências. 

Fonte: Governo de SP

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Serviços digitais da Sabesp nos canais do Poupatempo crescem durante a pandemia 
Continue lendo
Propaganda
- PUBLICIDADE -

MAIS LIDAS DA SEMANA