- PUBLICIDADE -

DISTRITO FEDERAL

Policlínica de Sobradinho oferece reabilitação pós-covid

- PUBLICIDADE -

Publicados

em

As sequelas pós-covid são variadas e podem envolver a parte neurológica dos pacientes. É o caso de Clarice Barbosa, 36 anos, que contraiu a doença em junho de 2020 e, com dez dias de dor de cabeça, febre, tosse e coriza, começou a notar dormência nas mãos e língua. Foi para o Hospital Regional de Sobradinho (HRS), onde ficou três dias. Em seguida, deu entrada no Hospital Universitário de Brasília (HUB) e passou mais sete dias internada.

Clarice vem se tratando no HRS: “Apesar de ainda precisar da ajuda de um andador, já senti melhora no equilíbrio como um todo” | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

“A duração do tratamento é variada, pois depende de cada quadro de evolução” Juliana Costa, terapeuta ocupacional

Clarice, que atua como doméstica, teve perda e limitações nos movimentos e comprometimento na fala. Inicialmente, fez tratamento com neurologista ainda no HUB e, depois, passou a fazer sessões com fonoaudióloga também no hospital.

Em janeiro deste ano, ela procurou a Policlínica/Ambulatório de Saúde Funcional de Sobradinho para receber reabilitação neurológica pós-covid. O tratamento começou pela fisioterapia e, atualmente, inclui sessões semanais de terapia ocupacional.

Segundo a terapeuta ocupacional Juliana Costa, que acompanha Clarice, o tratamento é realizado de maneira individualizada e de acordo com a queixa de funcionalidade do paciente. “A duração [do tratamento] é variada, pois depende de cada quadro de evolução”, pontua.

Leia Também:  Bahia registra 3.088 novos casos de Covid-19 e mais 79 óbitos pela doença

Atuação do terapeuta

Juliana explica que a terapia ocupacional reabilita o paciente para que ele tenha maior autonomia possível para realizar suas atividades de vida diária, como lazer, trabalho e autocuidado. Clarice relembra: “Não conseguia comer, tomar banho e me vestir sem ajuda”.

“Eu me sinto muito melhor e feliz em poder retomar minhas atividades” Clarice Barbosa, paciente

Hoje, após o tratamento, a paciente já apresenta melhora em seu quadro funcional. “As mãos não tremem mais, já tomo banho e me visto sozinha”, conta. Os principais exercícios que ela faz são para retomar o equilíbrio e a coordenação motora tanto global quanto fina. Clarice também treina bicicleta manual para a parte cardiorrespiratória.

“O atendimento é nota 10”, diz. “Eu me sinto muito melhor e feliz em poder retomar minhas atividades”. Ela destaca a atenção de Juliana e celebra cada passo a mais no tratamento. “Apesar de ainda precisar da ajuda de um andador, já senti melhora no equilíbrio como um todo”, comemora.

Sequelas

De acordo com Juliana, os pacientes encaminhados para o ambulatório apresentam problemas que comprometem a autonomia e a qualidade de vida. “As sequelas neurológicas pela covid-19 podem ser relacionadas a queixas de convulsão, cefaleia, perturbação dos sentidos, falta de coordenação, fadiga, vertigem, dormência e AVC [Acidente Vascular Cerebral]”, enumera.

Leia Também:  SP registra 31,2 mil internados por COVID-19

A terapeuta ocupacional revela ter tido bons resultados na reabilitação neurológica pós-covid. Ela alerta que quanto antes for iniciado o tratamento, melhores são as chances de bom prognóstico.

Atendimento

O ambulatório oferta serviços na área de fisioterapia e terapia ocupacional ortopédica, neurológica adulta e neuropediátrica, além de atendimento psicológico.

Os pacientes chegam ao local via regulação. Com o encaminhamento médico, a pessoa pode ir até a unidade básica de saúde mais próxima fazer o agendamento. O ambulatório, situado na Quadra 8/Área Reservada de Sobradinho, atende moradores da Região de Saúde Norte.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Fonte: Agência Brasília

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo
Propaganda
- PUBLICIDADE -

MAIS LIDAS DA SEMANA