- PUBLICIDADE -

DISTRITO FEDERAL

Inauguração de cem vagas em casas de acolhimento

- PUBLICIDADE -

Publicados

em


A gestão das casas será feita por uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e o Instituto Tocar | Foto: divulgação Sedes

Um lugar onde há dignidade, respeito e cidadania. O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), abriu, neste sábado (20), duas Casas de Passagem para ofertar novas vagas para o Serviço de Acolhimento Institucional.

As unidades ficam em Taguatinga e Planaltina. Cada uma terá 50 vagas destinadas à pessoas em situação de vulnerabilidade ou de rua. “É mais uma etapa na ampliação da oferta desse serviço no DF para quem mais precisa, de forma descentralizada e com responsabilidade social”, explica a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

A gestão das casas será feita por uma parceria entre a secretaria e o Instituto Tocar. “Atuamos há 20 anos na área social. Recentemente, estávamos com a responsabilidade da execução do serviço de acolhimento no Alojamento Provisório do Autódromo, onde recebemos mais de 1,2 mil cidadãos”, explica a presidente do instituto, Regina Amorim.

Leia Também:  Sobradinho II é a próxima parada do ‘Sua Vida Vale Muito’

“Na unidade, os acolhidos terão um acompanhamento socioassistencial para que possam superar essa situação de vulnerabilidade, e assim resgatarem sua autonomia”explica a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha

Em cada local há uma cozinheira, 20 orientadores sociais, dois psicólogos e dois assistentes sociais. “Na unidade, os acolhidos terão um acompanhamento socioassistencial para que possam superar essa situação de vulnerabilidade, e assim resgatarem sua autonomia”, afirma a secretária Mayara Rocha.

Já no primeiro dia, a Casa de Passagem recebeu 19 homens que já tinham sido atendidos pelas equipes da Abordagem Social. “Eu fiquei alguns meses no Alojamento Provisório do Abadião. Fui muito bem acolhidos lá e sinto que aqui vai ser igual”, conta o alagoano Rui*, de 36 anos. “É uma oportunidade de recomeço para mim”, acredita.

Nas próximas semanas, juntamente a outras Organizações da Sociedade Civil (OSCs), a Sedes vai ofertar outras 200 vagas em mais Casas de Passagem. A meta é completar as 600 vagas, previstas em edital lançado no fim do ano passado, ainda neste primeiro semestre de 2021. Essas vagas das novas casas de acolhimento serão disponibilizadas como as demais, por uma central da própria Sedes.

Leia Também:  Enem PPL: jovens do Degase vão disputar vagas no Ensino Superior

As entidades parcerias ficam responsáveis pela implantação, execução e manutenção do Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias, pelo período de 24 meses, prorrogável pelo mesmo período.

As unidades de acolhimento garantem segurança alimentar e nutricional aos usuários, com refeições diárias, e funcionam como abrigo com camas para dormir, banheiros e lavanderia. Também são oferecidos espaço de convívio social, cursos técnicos, atendimento médico com apoio das equipes de consultórios na rua e orientações sobre a covid-19.

Atualmente, a Sedes conta com 44 instituições parceiras na execução do serviço de acolhimento, no qual mais de mil pessoas são atendidas diariamente.

*Nome fictício colocado com o objetivo de manter o sigilo acerca da identidade do acolhido

* Com informações da Sedes

Fonte: Governo DF

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo
Propaganda
- PUBLICIDADE -

MAIS LIDAS DA SEMANA