- PUBLICIDADE -

CEARÁ

Quatro homens são presos pela PCCE durante operação “Luz na Infância” no Ceará

Publicados

em

Visando combater crimes de abuso e de exploração sexual de crianças e adolescentes na internet, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) participou, na manhã desta quarta-feira (9), da oitava edição da Operação “Luz na Infância”. A ação faz parte de uma mobilização coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) em todo o país. As ofensivas ocorreram em bairros de Fortaleza e de Juazeiro do Norte. Ao todo, quatro pessoas foram capturadas.

Nas primeiras horas da manhã, as equipes da PCCE realizaram diligências para localizar alvos suspeitos de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet. Os trabalhos também contaram com o apoio de equipes da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). As informações da ação no Ceará foram apresentadas em coletiva de imprensa, na manhã de hoje, na sede da Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza.

Fortaleza

Na Capital, o primeiro capturado foi um homem de 50 anos. Ele foi localizado em um imóvel no bairro Bom Jardim – Área Integrada de Segurança 2 (AIS 2) de Fortaleza, logo após as equipes da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) cumprirem um mandado de busca e apreensão. Na casa, os policiais civis encontraram HDs externos com diversos arquivos contendo conteúdo pornográfico infanto-juvenil. Conforme apuração, o suspeito utilizava programas para o compartilhamento do material. Ele foi encaminhado para a sede da Dceca, onde foi autuado em flagrante no artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) por compartilhar e armazenar conteúdo pornográfico envolvendo criança ou adolescente.

Ainda durante as diligências, mais duas pessoas foram capturadas. Um homem de 54 anos foi preso, no bairro Barra do Ceará (AIS 8), e outro de 43 anos, no bairro Ancuri (AIS 3). As prisões se deram por força de mandados de prisão preventiva e de decisão condenatória, respectivamente, pelo crime de estupro de vulnerável. A Dceca mantém as investigações sobre o envolvimento dos capturados na atividade ilícita e aguarda a análise do material apreendido para dar continuidade aos trabalhos policiais.

Leia Também:  Mais 440 internos serão qualificados com novos cursos do Pronatec

Interior Sul

Já em Juazeiro do Norte, equipes da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade efetuaram a prisão de um indivíduo de 31 anos, no bairro Socorro. O suspeito foi encaminhado para a delegacia especializada, onde também foi autuado por adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. Conforme apuração, no imóvel do investigado, após cumprirem um mandado de busca e apreensão, os policiais civis localizaram o material com pornografia infantojuvenil.

Provas materiais

De acordo com Rômulo Lima, coordenador de Perícia Criminal da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), os profissionais do Núcleo de Perícia em Tecnologia e Apoio Técnico (NPTAT) da Pefoce, especialistas em Informática Forense, atuam na operação para promover a idoneidade da prova pericial em razão da existência de material pornográfico, envolvendo crianças e adolescentes, e que estão armazenados ou foram compartilhados em dispositivos.

“É necessária a atuação dos peritos de informática para que haja a extração de dados, obtenção e quebra de senhas e identificação de vestígios em computadores e celulares que, às vezes, apenas o perito especializado na área é capaz de detectar, através de caminhos técnicos.” explica ele.

Por se tratarem de crimes sexuais contra criança e adolescentes, o coordenador da Copec explica que são enormes as chances de os peritos encontrarem vestígios que vão colaborar com as investigações “Em cerca de 90% dos casos, há imagens em celulares e computadores, onde os peritos detectam recebimentos, armazenamentos e envio de mídias digitais”, conclui.

Leia Também:  RH Bahia gera mais de 200 mil atos em 2020 e garante produtividade de rotinas de RH durante pandemia

Luz da Infância

A ofensiva faz parte de uma mobilização nacional para combater crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na internet e foi articulada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Na oitava edição, a operação teve colaboração da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, por meio da Homeland Security Investigations (HSI), que ofereceu cursos, compartilhamento de boas práticas e capacitações. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos no Brasil e em mais cinco países: Argentina, Estados Unidos, Equador, Panamá e Paraguai.

No Ceará, a delegada adjunta do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) ressaltou a importância da participação da Polícia Civil nos trabalhos durante a operação. “As dores da sociedade são importantes. Por isso, o nosso papel é trabalhar incansavelmente para combater e identificar pessoas envolvidas nesses crimes tão perversos. Um crime que atinge não só a proteção dessas crianças e adolescentes, mas também a sociedade”, finalizou ela.

Balanço das Operações

Em suas sete edições anteriores, realizadas entre 2017 e 2020, a ‘Luz na Infância’ já resultou nos cumprimentos de 1.450 mandados de busca e apreensão, e prendeu cerca de 700 suspeitos de praticarem crimes cibernéticos de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, em todo o Brasil e nos países participantes da ação.

Somente em 2020, em duas fases da operação, as ações da Polícia Civil no Ceará resultaram nas prisões de dez pessoas, além das apreensões de diversos equipamentos eletrônicos com conteúdo pornográfico. As outras cinco fases da operação “Luz na Infância”, no Estado, culminaram em 15 pessoas presas.

Fonte: Governo do Estado do Ceará

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo
Propaganda
- PUBLICIDADE -

MAIS LIDAS DA SEMANA