CEARÁ

Ceará recebe 18º lote de vacinas, incluindo a primeira remessa dos imunizantes da Pfizer

Published

on







3 de maio de 2021 – 17:13
#coronavírus #Covid-19 #Pandemia #Saúde Ceará #Sesa #vacina contra covid-19 #vacina Pfizer #vacinação


Fhilipe Augusto – Comunicação Institucional – Texto
Thiara Montefusco – Fotos


A 18ª remessa de vacinas para a imunização da população cearense contra a Covid-19 chegou ao Estado em avião que pousou no Aeroporto de Fortaleza na tarde desta segunda-feira (3). O novo lote enviado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), de responsabilidade do Governo Federal, contém 17.550 doses da Pfizer/BioNTech, a primeira remessa que chega ao Ceará desse imunizante. E contém mais 255.750 doses de Oxford/AstraZeneca, totalizando 273.300.

Recebemos há pouco mais um lote de vacinas contra a Covid, incluindo mais uma remessa da AstraZeneca e a primeira da Pfizer. Temos lutado muito para que os cearenses sejam vacinados o quanto antes. Hoje mesmo a Justiça Federal acatou ação do Governo do Estado para que o Ceará receba, de forma imediata, 49 mil doses extras da vacina CoronaVac. Não vou descansar um minuto até que toda nossa população seja imunizada”, ressaltou o governador Camilo Santana.

Com os envios desta segunda-feira, o Ceará chega ao total de 2.715.200 doses recebidas do Ministério da Saúde (MS), das quais mais de dois milhões já foram aplicadas, entre primeira e segunda dose. Os dados são do Vacinômetro.

Pfizer

Esta é a terceira vacina recebida pelo Ceará, que já vinha imunizando sua população com a CoronaVac (Sinovac/Butantan) e AstraZeneca (Oxford/Fiocruz). Ao contrário das outras duas, a Pfizer/BioNTech necessita de um acondicionamento com temperatura mais baixa ainda. Elas precisam ficar guardadas em ambientes entre -25ºC e -15ºC, podendo permanecer por até 14 dias nessas condições. A Secretaria da Saúde (Sesa) vai utilizar um freezer da Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos, que tem capacidade para conservar a uma temperatura de 70 graus negativos.

Leia Também:  Centec inicia quinto ciclo de cursos online com mais de 400 alunos

Assim como os outros dois imunizantes já utilizados no Estado, esse também precisa da aplicação de duas doses para garantir um melhor resultado imunológico. O intervalo entre as duas aplicações deverá ser de 12 semanas, de acordo com orientação do Ministério da Saúde.

Terceiro grupo prioritário

Com o avanço da campanha de vacinação, o Ceará está perto de começar a imunização do terceiro grupo prioritário, que contempla pessoas com comorbidades (doenças crônicas), deficiência permanente grave e grávidas. A comprovação de que possui algum desses pré-requisitos deve ser feita com a apresentação de um atestado, prescrição ou relatório médico especificando a indicação da vacina pelo médico.

 

Ouça

O governador Camilo Santana destacou o esforço do Governo para acelerar a vacinação no Ceará. Com a decisão da Justiça Federal, Camilo Santana espera regularizar a imunização da população com a Coronavac.


Leia Também:  Dragão do Mar transmite bate-papo ao vivo sobre imaginário nordestino, nesta quinta (8)

A secretária executiva de vigilância e regulação da Secretaria da Saúde, Magda Almeida, fala sobre especificidades da vacina da Pfizer.


A comprovação de que possui algum desses pré-requisitos deve ser feita com a apresentação de um atestado, prescrição ou relatório médico especificando a indicação da vacina pelo médico, como explica Magda Almeida.


O governador Camilo Santana reforçou o esforço para garantir leitos suficientes para atender a quem precisa neste momento, para recuperar a economia e para garantir a vacina para os cearenses.





Fonte: Governo do Estado do Ceará

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

MAIS LIDAS DA SEMANA