- PUBLICIDADE -

Alego

Eduardo Prado requer reconhecimento do risco no exercício da advocacia

Publicados

em

O deputado Delegado Eduardo Prado (DC) apresentou na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) o projeto nº 7657/21, cujo propósito é reconhecer o risco da atividade profissional exercida por advogados no estado de Goiás.

Em sua justificativa, Prado afirma que o intuito é garantir aos advogados e advogadas direito ao livre exercício da profissão, de maneira digna e isonômica. Ele apresenta dados da Comissão Nacional de Defesa das Prerrogativas e da Valorização da Advocacia da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que indicam: 72 advogados foram assassinados no país, sendo 45 relacionados diretamente ao exercício profissional.

O deputado destaca, ainda, caso recente em Goiás do duplo homicídio dos advogados Marcus Chaves e Frank de Assis, em outubro de 2020, motivados por exercício da profissão. Os dois profissionais foram assassinados dentro de um escritório no Setor Aeroporto, em Goiânia.

Prado estabelece que o exercício da advocacia possui os mesmos riscos daquela desenvolvida por juízes de Direito e promotores de Justiça, independentemente das demandas judiciais. Relembra também que a artigo 6º da Lei nº 8.906/1994 estabelece que não há hierarquia nem subordinação entre advogados, magistrados e membros do Ministério Público, devendo todos tratar-se com respeito recíproco. Na matéria, o deputado anexou pesquisa realizada por diversas comissões integrantes ao direito que corrobora para os argumentos que definem o risco da profissão e a importância do porte de arma para advogados.

Leia Também:  Semana de conscientização sobre o uso racional da água recebe sanção do Executivo

A posposta foi encaminhada à Secretaria de Apoio Legislativo.

Fonte: Portal da Alego

Fonte: Agência Assembleia de Notícias

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo
Propaganda
- PUBLICIDADE -

MAIS LIDAS DA SEMANA